Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Há uma selva lá fora...

Um blogue sobre a selva: observações e comentários de um tipo.

13
Ago16

Chama-se liberdade, meus amigos...

 

A liberdade para criticar está muito na moda: por um lado, há sempre grupos "organizados" nas redes sociais que reclamam de quem diz uma piada sobre um tema sensível; por outro esses grupos "organizados" têm liberdade para reclamar sobre o que quer que seja. 

Admito: sou um reclamador profissional. No entanto, não reclamo "porque sim": reclamo quando tenho uma razão, ainda que mínima, para o fazer. Não gosto muito de críticas negativas (afinal, quem gosta?). Mas recebo-as. Escuto-as. Interiorizo-as. Matuto. Durmo sobre a questão. No dia seguinte, vamos lá melhorar os erros. 

Quem é meu amigo nas redes sociais sabe que, quando escrevo algo por lá, uso de um humor caraterístico: tento olhar para uma notícia e vejo como me posso rir com aquilo. E como fazer os outros rir também!

Tal como na vida, tento ir buscar aquele pormenor: olho bastante para o que está à minha volta e concentro-me nos pequenos detalhes, naquilo que as pessoas deixam passar. Epah! Deixem-me ser feliz assim! 

Gosto de que tenham opiniões diferentes das minhas. Dá para debater sobre vários pontos de vista. 

E sabe do que gosto também? Da minha terra! Da minha "santa" (porém beata) terra que tem temas tabu muito bem definidos. 

Neste momento, estou bloqueado na página de Facebook da junta da minha freguesia. Razão? Oficialmente, não sei! Nunca comentei rigorasamente nada naquela página! Apenas, e como sou estudante deslocado, gosto de me manter a par daquilo que se faz pelo lugar onde nasci e cresci. 

No entanto, e apesar de não saber quais as razões que me levaram ao bloqueio, posso suspeitar. 

Um simples "A sério que vão trazer o X? Não tinham uma coisa melhor?", escrito no meu perfil foi a razão. Foi das poucas vezes que escrevi sobre a minha freguesia no Facebook. Sobre a bendita festa popular em honra à Santa. Nenhum comentário anterior à freguesia tinha sido negativo.

Ora, o meu perfil de Facebook não é aberto! Aquilo que publico é por camadas: alguns conteúdos são publicados para algumas pessoas, outros para outras mas nada é para o público geral. Ora, posto isto era fácil descobrir quem podia ter sido culpado: tinha que ser meu amigo, ser da minha freguesia e teria de ter algo a ver com a junta. E não existiam muitas pessoas nessa posição. 

Se tinha razões para criticar a escolha? Sim. Normalmente, os artistas que estão na berra (o artista tinha acabado de lançar um dueto com um cantor internacional) fazem concertos fracos quando vão às festas ao ar livre. E também não gosto propriamente da música que ele faz.

Resultado: o concerto do cantor foi um fiasco . No entanto, o bloqueio continua. 

Nunca pedi satisfações a quem quer que seja sobre isso. Não tenho medo de ir à junta perguntar: "Ó faxabor, bloquearam-me porquê?". Apenas tenho mais que fazer.

Aquilo que fiz, no meu espaço para um grupo limitado de pessoas, foi dar a minha opinião. Seja certa, seja errada, é a minha opinião! Tenho direito a ela! E não abdico dela! Chama-se liberdade, meus amigos... 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D